quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Miopia em crianças, problemas e tratamento.

Título original: Miopia pode ser controlada em crianças.
Por: Eutrópia Turazzi.
Imagem: http://www.cevipa.com.br/o-que-e-miopia/

Miopia pode ser controlada em crianças.
Estudo mostra que a progressão  da miopia em crianças pode ser interrompida  pelo uso 'off label' do colírio de atropina e outras terapias
 A miopia, dificuldade de enxergar à distância, atinge hoje 1 bilhão de pessoas e está piorando no mundo todo. A OMS (Organização Mundial da Saúde) estima que em 2050 metade da população global seja míope. No Brasil,  a prevalência deve passar de 27,7% em 2020 para 50,7% em 2050 conforme metanálise publicada por pesquisadores da AAO (Academia Americana de Oftalmologia).
De acordo com o  oftalmologista Leôncio Queiroz Neto do Instituto Penido Burnier em Campinas, a alteração miópica geralmente é permanente. "Se nada for feito para interromper a progressão vamos ter um aumento exponencial de graves doenças oculares", afirma. Isso porque, explica, a miopia acima de 6 graus aumenta o risco de catarata e outras doenças como o descolamento da retina, glaucoma e maculopatia miópica que estão entre as principais causas de perda permanente da visão entre pessoas economicamente ativas.
O uso de óculos, comenta, corrige a dificuldade de enxergar, mas não interrompe a evolução do grau que é mais intensa na infância e início da adolescência.
Tratamento
A boa notícia é que pesquisas feitas em diversas partes do mundo mostram  que a progressão da miopia em crianças pode ser interrompida mas, quanto antes for iniciado o tratamento, melhor é o resultado. Queiroz Neto afirma que de todos os medicamentos testados, o mais eficaz é o colírio de Atropina na concentração de  0,01%. Em uma pesquisa realizada com crianças de 6 a 12 anos que foram acompanhadas por 5 anos reduziu em 50% a progressão da miopia já no segundo ano e causou pouco  efeito adverso: visão embaçada, ardência e aversão à claridade.
Segundo o  médico a atropina é indicada para tratar estrabismo, uveite e irite, além de ser utilizada na paralisação de dois músculos oculares: o esfíncter responsável pela dilatação/contração da pupila e os músculos ciliares responsáveis pelo foco visual. É a paralisação desses músculo, explica, que evita  o aumento do comprimento axial do olho,  característico da alta miopia.
Queiroz Neto destaca que no Brasil a Atropina não é aprovada para controlar miopia, mas pode ser usada 'off label'. Significa que o médico pode indicar a Atropina para uma finalidade não prevista nabula como acontece com vários medicamentos, entre eles a aspirina indicada na prevenção de infarto.
Indicação.
O consenso médico é de que para controlar a miopia a Atropina deve ser usado uma vez ao dia por crianças de 5 a 15 anos que apresentem aumento de 0,5 grau a cada seis meses. Significa que o colírio não é indicado para toda criança míope. O especialista afirma que antes de iniciar o tratamento é necessário passar por exame oftalmológico completo. Por se tratar de uso off label os pais devem assinar uma carta de consentimento informando estar cientes disso e de que o efeito pode não ser o esperado, como aconteceu em outros países.
O oftalmologista adverte que a concentração de  Atropina nos colírios disponíveis nas farmácias é de 1%. Caso seja usado nesta concentração  e por tempo prolongado sem acompanhamento médico pode causar importantes efeitos colaterais,, entre eles o glaucoma.
Risco da tecnologia
Outro alerta aos pais é o abuso das telas eletrônicas. Isso porque um estudo feito por Queiroz Neto com 360 crianças mostra que na infância o excesso de tecnologia e  esforço visual para perto provoca a miopia acomodativa. Trata-se de uma dificuldade temporária de enxergar à distância causada pelo stress da musculatura ciliar. Caso os hábitos não sejam modificados pode levar à miopia permanente. .Por isso, a recomendação para crianças é descansar de 15 a 30 minuto a cada hora de  uso do computador, videogame ou outro equipamento.
Outras terapias
Uma pesquisa da AAO também revela que  uma hora/dia de atividade ao ar livre, preferencialmente durante a manhã ou no final da tarde, quando a radiação UV (ultravioleta) é mais baixa, também contribui com o controle da miopia. O oftalmologista explica que a exposição ao sol, estimula a produção de dopamina ocular e os neurotransmissores da retina responsáveis pela modulação das imagens. Os estudos feitos com lente ortoceratológica que aplana a córnea a noite, óculos bifocais e lentes progressiva não têm resultados expressivos sobre a miopia.

Eutrópia Turazzi
LDC Comunicação

Fonte: Pravda. [online]  See more at: http://port.pravda.ru/science/11-02-2017/42673-miopia-0/#sthash.S3fb3oBL.dpuf Acesso 15/02/2017.

A crise não é socioambiental, é civilizatória.

Pravda.
Por Vilmar Berna.



Nos tempos difíceis, quando recursos estão ameaçados, é que nossas forças e  utopias são testadas. Aparentemente, tudo indica que conseguimos pular o muro dos limites que a natureza interpõe a todas as espécies, mas para que? Para explorar e destruir melhor o Planeta, como se fôssemos um tipo de praga planetária, que come até o último recurso? Ou a consciência e inteligência, aparentemente mais evoluída em nossa espécie, conseguirá nos salvar do fim destinados a todas as pragas?
Não nascemos humanistas ou democratas. Estas são utopias e invenções humanas, construídas dura e cotidianamente e, assim como acontece com a lua, quando pára de crescer começa a diminuir. O preço de sermos livres da natureza é a eterna vigilância.
Sem nossa consciência e inteligência, não produziremos cultura humana e então voltaremos a ser regulados pela natureza, onde sobreviver é a ordem do dia.
No mundo natural, não existe nada que impeça ao vencedor praticar canibalismo ou infanticídio contra os perdedores, assegurando assim que só seus genes irão prosperar. É assim com diversas espécies, de felídeos a primatas. Ou de usar o corpo de outras espécies para depositar os ovos cujos filhotes comerão o hospedeiro de dentro para a fora, como acontece entre vespas. Ou invadir e ocupar territórios para assegurar mais recursos, como acontece em todas as demais espécies, sem importar se sobrará recursos para outros. Simples assim, esta é a regra. Os mais fortes engolem os mais fracos. 
E entre nós, humanos? 
A parceira e colaboradora da REBIA, Amyra El Khalili, analisa em seu artigo como estamos lidando com nossa humanidade. Aponta falhas e indica caminhos de solução. O que chama de 'financeirização' não mais é que a velha agiotagem protegida por regras e governos, onde uma pequena parcela da espécie humana chegou ao topo da cadeia alimentar e faz de tudo para permanecer lá, doa a quem doer. E dói. Existem saída? Sim, aponta a autora, então vale a pena ler e saber do final. 
A construção de outro modelo de finanças depende de uma estratégia socioambiental

Fonte:Pravda. [online] http://port.pravda.ru/mundo/07-02-2017/42649-crise_socioambiental-0/#sthash.0WHW2S0S.dpuf Acesso 15/02/2017.

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Profissões estranhas. Faxineiro de áreas de crimes.

Reprodução/Josh Marsden/LinkedIn

Uma profissão que não é para qualquer um, imagine uma cena onde ocorreu uma tragédia em uma empresa, por exemplo, várias pessoas mortas, muito sangue, às vezes despojos humanos espalhados... alguém tem que limpar tudo isso.
Essa é  a rotina de que trabalha com faxina de áreas de crimes. Além de ter estômago para aguentar tudo isso, é imprescindível estar bem protegido e equipado.
O "australiano Josh Marsden, diretor da empresa Australian Forensic Cleaning, que trabalha com este tipo de limpeza há mais de 10 anos1" relata-nos um pouco mais sobre essa profissão estranha.

Leia na íntegra...   
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...